Insônia – Dicas para uma boa noite de sono

Para compreendermos as principais dicas para uma boa noite de sono, primeiro temos que saber o que é insônia:

Insônia:
Pode ser a dificuldade tanto de iniciar como de manter o sono, manifestando-se de forma crônica ou transitória. Entre as causas estão depressão, ansiedade, estresse, abuso de substâncias estimulantes, uso de hipnóticos por tempo prolongado, má higiene do sono e, raramente, causas orgânicas desconhecidas.

Dicas para uma boa noite de sono:
1) Mantenha seu dormitório arejado durante o dia, escuro à noite, sem umidade, sem ruído excessivo e limpo.

2) Evite álcool e bebidas cafeinadas.

3) Evite luz intensa durante a noite, pois por vezes ela pode estimular o alerta e afastar o sono. Entretanto, exponha-se à luz do dia pela manhã, ela pode ajudar a regular seu início do sono à noite.

4) Faça refeições leves (não vá dormir com fome nem após ter comido muito)

5) Estabeleça horários regulares de dormir e acordar, segundo o seu organismo. Isso favorece o estabelecimento de um ritmo.

6) Não cochile durante o dia (exceto pessoas idosas onde pode ser aconselhado apenas um cochilo à tarde)

7) Evite atividades à noite que possam estimular o alerta, como computadores, Internet, televisão, leitura, etc. Obs: Para alguns poucos insones, a TV e a leitura podem estimular o sono.

8)Banhos quentes devem ser evitados, mas banhos com temperatura morna podem ajudar.

9) Evite ler, assistir TV e ingerir alimentos na cama. Use-a principalmente para dormir.

10) Evite exercícios físicos próximos da hora de dormir, mas favoreça a prática adequada de exercícios físicos durante o dia.

Minutos antes de dormir:
1 – Vá para cama quando tiver sono, se você acha que não sente sono, investigue a que horas você apresenta seu primeiro cochilo no período da noite. Procure deitar neste mesmo horário na noite seguinte.

2 – Se incapaz de dormir, saia da cama e retome atividade relaxante em ambiente de pouca luminosidade.

3 – Retorne para a cama apenas com sono, para associar a cama com “dormir”.

4- Não fique controlando o passar das horas no relógio, isso pode acentuar a sensação de não dormir.

Deixe as preocupações longe da cama e… Boa Noite!

Posted in Artigos | Tagged , , , , , , , | Leave a comment

O que é Neurologia?

A Neurologia é a especialidade da Medicina que estuda as doenças estruturais do Sistema Nervoso Central (composto pelo encéfalo e pela medula espinal) e do Sistema Nervoso Periférico (composto pelos nervos e músculos), bem como de seus envoltórios (que são as meninges).

Doença estrutural significa que há uma lesão identificável em nível genético-molecular (mutação do material genético DNA), bioquímico (alteração de uma proteína ou enzima responsável pelas reações químicas que mantêm as funções dos tecidos, órgãos ou sistemas) ou tecidual (alteração da natureza histológica ou morfológica própria de cada tecido, órgão ou sistema).

Em outras palavras, existe uma alteração neuroanatômica ou neurofisiológica que produz manifestações clínicas, as quais devem ser interpretadas. Este exercício de associação dos sintomas e sinais neurológicos apresentados pelo paciente (diagnóstico sindrômico) com o tipo de função alterada e com a estrutura anatômica a ela associada (diagnóstico anatômico ou topográfico) é a base do raciocínio em Neurologia Clínica.

De uma forma bem resumida, pode-se considerar que, anatomicamente, o Sistema Nervoso Central é composto pelo encéfalo ou cérebro, contido dentro do crânio, e pela medula espinal, contida dentro da coluna vertebral. O conjunto é envolvido pelas meninges e em seu interior circula o líquido cefalorraquidiano (LCR), dentro de compartimentos denominados ventrículos cerebrais e espaço subaracnóideo.

O encéfalo compreende os hemisférios cerebrais, os gânglios da base, o tálamo, as vias ópticas, o eixo hipotálamo-hipofisário, a glândula pineal, o tronco cerebral e o cerebelo. Na transição entre o crânio e a coluna vertebral, o encéfalo dá continuidade à medula espinal, da qual se originam as raízes e os nervos periféricos, que por sua vez terminam nos músculos.

Assim, se considerarmos a enorme complexidade anatômica e funcional do Sistema Nervoso, entende-se que os sinais e sintomas que sugerem uma doença neurológica sejam muito variados e possam ocorrer de forma isolada ou combinada.

Tais sintomas e sinais neurológicos são principalmente: alterações psíquicas (distúrbios da consciência, do comportamento, da atenção, da memória, da organização do pensamento, da linguagem, da percepção e da organização de atos complexos, retardo do desenvolvimento neuropsicomotor e involução neuropsicomotora); alterações motoras (déficit de força muscular ou paralisias nos diferentes segmentos corporais, distúrbios da coordenação e do equilíbrio, movimentos involuntários, por ex. tremores, e outras); alterações da sensibilidade (anestesias, formigamentos, etc.); alterações da função dos nervos do crânio e da face (olfação, visão, movimentos dos olhos, audição, mastigação, gustação, deglutição, fala, movimentação da língua, do ombro e do pescoço); manifestações endócrinas por comprometimento do hipotálamo ou hipófise, que são as áreas do Sistema Nervoso que controlam as glândulas endócrinas (atraso de crescimento, puberdade precoce, diabetes insipidus, e outras); alterações dependentes da função do sistema nervoso autônomo (cardiovasculares, respiratórias, digestivas, da sudorese, do controle de esfíncters anal e vesical e outras); manifestações devidas ao aumento da pressão intracraniana, em decorrência do aumento de volume de um dos três componentes que ocupam a caixa craniana (tecido cerebral, vasos sangüíneos cerebrais ou líquido cefalorraquidiano), tais como dor de cabeça e vômitos; crises epilépticas, com ou sem convulsões motoras, com ou sem alterações da consciência; manifestações de comprometimento das meninges, principalmente rigidez de nuca.

Por sua vez, as doenças neurológicas podem ter diferentes origens: genética ou hereditária; congênita, ou seja, dependente de um distúrbio do desenvolvimento embrionário ou fetal do Sistema Nervoso Central ou Periférico; adquirida, ou seja, ocorrendo, com maior ou menor influência do ambiente, ao longo dos diferentes períodos da vida, desde a fase neonatal até a velhice.

Em diferentes combinações e gradações, os sinais e sintomas acima citados, compõem os principais grupos de doenças neurológicas, a saber:
•doenças vasculares: acidente vascular cerebral, popularmente conhecido como derrame. •doenças desmielinizantes: esclerose múltipla e outras.
•doenças infecciosas: meningites, encefalites.
•tumores do Sistema Nervoso Central ou Periférico.
•traumatismos cranianos (repercussão no cérebro) ou raquianos (repercutem sobre a medulas espinal).
•doenças inflamatórias: polirradiculoneurite, polimiosite.
•alteraçoes do desenvolvimento: deficiência mental, paralisia cerebral, déficit de atenção/hiperatividade, dislexia e outros.
•doenças degenerativas, com ou sem hereditariedade definida, com ou sem distúrbio metabólico detectado: fenilcetonúria, distrofia muscular progressiva, Parkinson, Alzheimer, adrenoleucodistrofia (doença do óleo de Lorenzo1) e muitas outras.

Além das três grandes divisões da Neurologia, a saber Neurologia Geral, Neurologia Infantil e Neurocirurgia, a especialidade abrange o estudo dos métodos diagnósticos auxiliares que lhe são mais diretamente relacionados, tais como LCR, Eletrencefalograma, Eletromiografia e Neuroimagem (angiografia, tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética, SPECT, PET-scan).

Finalmente, considerando que o paciente neurológico necessita freqüentemente de um diagnóstico funcional, de acordo com o seu grau de comprometimento e de o déficit ser temporário ou permanente (seqüela), existem especialidades paramédicas altamente relacionadas ao atendimento neurológico, tais como Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Pedagogia e Fonoaudiologia, envolvidas com o tratamento paliativo de reabilitação, cujos princípios o neurologista deve conhecer para poder recomendar.

Posted in Artigos | Tagged , , , , , , , , , , , | Comments Off on O que é Neurologia?

Doppler de Carótidas e Vertebrais – DF

Doppler de Carótidas e Vertebrais

O Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga inaugurou recentemente sua mais nova unidade de diagnósticos avançados em neurologia, contando com moderno aparelho para realização de Doppler de Carótidas e Vertebrais. Este exame utiliza os princípios da ultrassonografia.

As artérias carótidas são importantes vasos sanguíneos que levam sangue arterial (oxigenado) do coração para o cérebro. Elas se originam no tórax a partir da aorta, passam através do pescoço, uma de cada lado, até alcançar e irrigar o cérebro.

Além dessas duas principais artérias, existem outras duas menores na região posterior do pescoço, chamadas artérias vertebrais, que também levam o sangue para o cérebro.

A principal causa de entupimento dessas artérias é a chamada doença aterosclerótica.

A aterosclerose é uma doença que pode afetar todas as artérias do corpo. É caracterizada por acúmulo de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias, levando a uma redução do fluxo sanguíneo aos tecidos irrigados por elas. Quando ocorre nas coronárias pode acarretar infarto do coração e quando ocorre nas carótidas pode ocasionar um acidente vascular cerebral (AVC ou popularmente derrame).

Essa doença se manifesta em 10% da população acima dos 50 anos, tendo um desenvolvimento lento e progressivo.

A maioria dos pacientes com arterioesclerose são assintomáticos, uma vez que graus leves a moderados de entupimento (estenose) das carótidas são tolerados pelo organismo, contudo, quando as placas de aterosclerose causam um grau mais severo de entupimento (estenose) resultam em uma diminuição de fluxo sanguíneo para o cérebro, podendo causar um derrame.

A grande maioria dos indivíduos com doença nas carótidas não necessitam de cirurgia, tendo em vista que pequena quantidade de placas de aterosclerose são comuns em pessoas idosas, se tornando problemático em geral quando crescem e causam entupimentos mais severos nas artérias, em geral superiores a 60-70% de obstrução.

Outro problema é que mesmo placas pequenas de aterosclerose, quando irregulares ou ulceradas, acumulam coágulos que podem desprender e serem levados com o fluxo sanguíneo para o cérebro causando entupimento de pequenos vasos ocasionando isquemia (sofrimento por falta de sangue) ou necrose (morte) dos tecidos irrigados por elas, que dependendo da gravidade e do local lesionado, poderá os sintomas serem reversíveis, desaparecendo em alguns minutos ou horas, ou acarretar maior gravidade como sequelas relacionado a diminuição de força ou mesmo paralisia completa de um lado do corpo.

Além da doença aterosclerótica existem outras causas para o AVC, dentre as principais estão: hipertensão, diabetes, tabagismo, altos níveis de colesterol, doenças cardíacas, sedentarismo, antecedente familiar entre outras.

Atualmente as artérias carótidas podem ser analisadas através de aparelhos de ultra-sonografia com doppler colorido, chamado Duplex Scan ou simplesmente Doppler de Carótidas.

Como é o exame?

Trata-se de um exame não invasivo, com duração em média inferior a 30 minutos, onde o paciente permanece deitado e são examinadas as carótidas na região do pescoço.

O médico irá colocar um gel sobre a pele e em seguida coloca um transdutor (aparelho que emite e detecta ondas sonoras que captam o movimento do sangue nos vasos), com isso são geradas imagens e cores das artérias mostradas no visor do aparelho de ultra-som, e devido a passagem do sangue através da artéria, um som similar aos batimentos cardíacos é ouvido.

As principais imagens obtidas durante o exame são documentadas em papel impresso e posteriormente são analisadas pelo médico para realização do laudo.

É necessário algum preparo?

Não há necessidade de nenhum preparo especial, como jejum ou medicações.

Existe algum tipo de risco?

NÃO, o exame é completamente indolor, não há radiação ionizante (raios-x) e não há necessidade de injeção de contrastes pela veia.

O que pode ser estudado com esse exame?

Com esse exame o médico pode estudar as artérias analisando irregularidades, tortuosidades, dilatações (aneurismas) e presença de placas de aterosclerose, inferindo assim o grau de entupimento e a característica das placas, que por sua vez podem dificultar a chegada de sangue ao cérebro aumentando o risco de um derrame.

Considerações finais

O Doppler de Carótidas e Vertebrais é um exame que deve ser baseado primeiramente em uma indicação médica, e traz auxílio em relação ao melhor tratamento e prevenção, sendo importante para o diagnóstico precoce da doença no intuito de detê-la e impedir suas manifestações.

MARCAÇÃO DE EXAMES:
Telefones: (61) 3561-0007 ou 3045-0866

Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF

Endereço:
Centro de Excelência do Hospital Anchieta, 80. andar, sala 815
QNC 15, Setor C Norte, Taguatinga Norte – DF

Mapa:

Visualizar Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF em um mapa maior

Posted in Doppler de Carótidas, Doppler de Vertebrais, Exames | Tagged , , , , , , , | Comments Off on Doppler de Carótidas e Vertebrais – DF

Eletroencefalograma ou EEG – DF

Eletroencefalograma ou EEG

O Eletroencefalograma ou EEG é um dos maiores instrumentos de investigação para epilepsia e outros transtornos neurológicos. Este exame faz um registro da atividade elétrica cerebral usando eletrodos na superfície do couro cabeludo.

O Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga  acaba de inaugurar a sua mais nova estação para realização de diagnósticos avançados em neurologia. Nossas instalações contam com um moderno aparelho de eletroencefalograma digital que também faz o mapeamento cerebral.

A estação de diagnósticos avançados em neurologia está localizada no Centro de Excelência Anchieta (ao lado do Hospital Anchieta) no 8o. andar, sala 815 – Taguatinga – DF.

Marcação de Consultas:
Telefones: (61) 3045-0866 ou 3561-0007

Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF

Endereço:
Centro de Excelência do Hospital Anchieta, 80. andar, sala 815
QNC 15, Setor C Norte, Taguatinga Norte – DF

Mapa:

Visualizar Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF em um mapa maior

Posted in EEG, Eletroencefalograma, Exames, Mapeamento Cerebral | Tagged , , , , , , , , | Comments Off on Eletroencefalograma ou EEG – DF

Neurologistas do Centro de Excelência Hospital Anchieta em Taguatinga – DF

Dr. Henrique Braga Silva
Neurologista
CRM-DF 11.288

Dr. Hudson Mourão Mesquita
Neurologista
CRM-DF 13.575

Clínica:
Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF

Endereço:
Centro de Excelência do Hospital Anchieta, 80. andar, sala 815
QNC 15, Setor C Norte, Taguatinga Norte – DF
Telefones: (61) 3561-0007 e (61) 3045-0866

Mapa:

Visualizar Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF em um mapa maior

Posted in Médicos, Neurologia, Taguatinga | Tagged , , , , , , | Comments Off on Neurologistas do Centro de Excelência Hospital Anchieta em Taguatinga – DF

Neurologistas em Taguatinga – DF

Neurologistas em Taguatinga – DF

Dr. Henrique Braga Silva
Neurologista
CRM-DF 11.288

Dr. Hudson Mourão Mesquita
Neurologista
CRM-DF 13.575

Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF

Endereço:
Centro de Excelência do Hospital Anchieta, 80. andar, sala 815
QNC 15, Setor C Norte, Taguatinga Norte – DF
Telefones: (61) 3561-0007 e (61) 3045-0866

Mapa:

Visualizar Instituto de Gastro & Neurologia de Taguatinga – DF em um mapa maior

Posted in Médicos, Neurologia, Taguatinga | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , | Comments Off on Neurologistas em Taguatinga – DF